Diário de Bordo: FINAL FANTASY I (Parte 1)


Depois da minha vergonhosa confissão de que o único RPG de console que terminei até hoje foi o PHANTASY STAR do Master System, resolvi agir para redimir minha honra retrogamer. Para tanto, vou encarar o desafio de jogar até o final (ou pelo menos tentar) o clássico FINAL FANTASY I, o primeiríssimo game da famosa série, lançado em 1987 para o NES.

Detalhe: a versão que vou jogar não é a original do NES, mas sim o excelente remake lançado para o Game Boy Advance em 2004 sob o nome de Final Fantasy – Dawn of Souls. Até onde sei, é um remake essencialmente fiel ao original, que apenas melhorou sensivelmente a parte gráfica e adicionou algumas dungeons novas, um bestiário e mais uns outros ganhos de jogabilidade.

A HISTÓRIA

De cara, você começa o jogo com um grupo de quatro heróis: um guerreiro, um ladrão, um mago branco e um mago negro (de magia negra, nada a ver com a cor da pele dos aventureiros!). Após dar nome a cada um deles, o jogador é apresentado à sucinta história do game.

O negócio é o seguinte: o jogo se passa em um mundo fantástico, formado por três grandes continentes. Esse mundo está envolto em trevas, com os mares em fúria e cataclismas naturais acontecendo. As pessoas aguardam a realização de uma profecia que diz que Quatro Guerreiros da Luz surgirão pra salvar o mundo desse caos, e então subitamente aparecem quatro jovens aventureiros, cada um portando uma orbe mística.

Logo após essa pequena narrativa, o grupo se encontra na frente da cidade de Cordelia. É aí que a aventura começa.

Fiquem ligados para a segunda parte do Diário de Bordo – Final Fantasy I!

Os heróis, contentes e renovados depois de uma bela noite de sono na pousada da cidade!

O guerreiro, liderando o grupo no centro de Cordelia, a primeira cidade do game.

3 pensamentos sobre “Diário de Bordo: FINAL FANTASY I (Parte 1)

  1. Excelente escolha.
    Esse é um dos meus jogos favoritos de todos os tempos da minha vida. A versão de GBA é belíssima, mas não foi só os gráficos e sons que foram modificados.

    O jogo ficou extremamente mais fácil no GBA. Várias manhas foram tiradas e os inimigos estão muito mais fáceis… por isso prefiro a original. Mesmo assim, estou torcendo por você.

    Arrasa na Redenção!

  2. Eu já joguei esse, como início da minha redenção por nunca ter jogado FF. Esse remake é ótimo, corrige vários problemas da versão original e, claro, é bem mais fácil😀

    Sinceramente? Eu acho que não diminui a diversão não. A história é a mesma, é tudo igual. Sem a “passação de raiva” dos malditos erros de ataque na versão do NES.

    Bom jogo pra ti!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s